O que Dafiti, Totvs e DryWash ensinam aos empreendedores

São Paulo – O que a Dafiti, a Totvs e a DryWash têm em comum? Apesar de atuarem em setores diferentes, as três empresas viveram momentos de crescimento rápido e significativo. O e-commerce de roupas e sapatos chegou a mais de 400 milhões de dólares em menos de um ano. A Totvs teve uma das entradas de capital mais bem sucedidas na Bolsa brasileira. E a DryWash tem mais de 65 franquias, inclusive na Índia.

Na manhã de hoje, os empresários desses três negócios contaram aos empreendedores do evento PME Summit, em São Paulo, como chegaram a este patamar.

Dafiti

Criada no ano passado, a Dafiti vende sapatos e itens de vestuário pela internet. A empresa passou de um portfólio de 500 sapatos em janeiro de 2011 a mais de 65 mil produtos, 40 milhões de visitas por mês no site e 400 milhões de faturamento. A startup saiu de um quarto de hotel com quatro empregados para 1200 funcionários, atuando no Brasil, na Argentina, no Chile, na Colômbia e no México.

Para Malte Huffman, sócio-fundador da Dafiti, a situação para quatro “gringos” tentando explorar este mercado não foi fácil. “Muitas marcas achavam que vender pela internet iria destruir a política de preços delas”, conta. Para ele, o responsável pelo crescimento acelerado do site foi o trabalho comercial junto às marcas. “A gente precisava criar um portfólio relevante, com marcas relevantes. No início, foi um trabalho vendedor”, explica. Para ter uma operação que sustentasse o crescimento, o site não terceirizou nada. “Temos nosso próprio cento de distribuição”, exemplifica.

DryWash

Lito Rodrigues, sócio-fundador da DryWash, começou a empreender aos 18 anos. Entre altos e baixos, tentou alguns negócios antes de criar a DryWash. “Resolvi entrar no segmento de lavagem de automóvel, porque tinha baixa barreira de entrada, não tinha muita qualificação e entendi que era um segmento que eu poderia fazer um pouco mais do que era feito até então”, diz. Com uma técnica para lavar os veículos sem usar água, a empresa cresceu e chegou a 65 franquias, inclusive na Índia. “Optei por crescer no modelo de franquia para capitalizar o negócio, cometi alguns erros e alguns acertos. O principal erro foi não ter definido até então qual era o melhor perfil do franqueado para o nosso negócio”, diz.

Segundo ele, dedicar-se ao negócio é essencial, mas centralizar tudo pode ser um problema. “Trabalhar 16 horas por dia me custou muito caro. Além de eu centralizar demais, a cabeça e o corpo não aguentaram, eu tive uma crise de estresse muito grande e tive que frear os negócios”, explica Rodrigues.

Totvs

A estratégia da Totvs para crescer foi unir-se aos concorrentes. Hoje, a empresa é formada por um conjunto de 45 empresas e 10 mil pessoas. “Nosso business plan é ser uma grande empresa brasileira de tecnologia da informação. Esse projeto foi idealizado, não aconteceu por acontecer. Se você não investir e acreditar, não vai dar certo. Nosso projeto em 2016 é ser a terceira maior empresa de software de gestão do mundo e passar a Microsoft”, conta Marcelo Jacob, diretor de relacionamento e operações, da Totvs.

A união com os concorrentes possibilitou que a empresa abrisse capital, em 2006. “Era um empreendimento de risco abrir capital no Brasil, ainda mais uma empresa de tecnologia. Captamos 470 milhões de reais. A gente continua investindo aquilo que a gente foi captar no mercado”, explica Jacob. Segundo ele, a adoção de um novo nome para o grupo foi essencial para integrar todos os funcionários. “Precisa ter uma cultura única, as pessoas têm que se adaptar a isso, porque fusões e aquisições são naturais no mercado. Quando você passa a criar objetivos comuns, as pessoas começam a se inserir. Criar um nome novo foi fundamental”, diz Jacob.

Fonte:  http://exame.abril.com.br/pme/

 

Blogueira fatura com dicas de beleza na web

Elas são jovens, bonitas, inteligentes e ganham dinheiro com blogs: esse é o perfil das empresárias que fazem sucesso dando dicas sobre moda na web. São 13 milhões de páginas dedicadas ao assunto. Conheça a história de Bruna Ribeiro, que sempre foi apaixonada por moda. O dinheiro vem de oito empresas diferentes, que anunciam na página de Bruna:

 

http://www.makefor.com.br/

Fonte:  SBT A grande Ideia

 

Como transformar o WordPress em diretório

Que o WordPress é um poderoso e flexível CMS ninguém duvida, mas você já pensou em transformar uma instalação comum em um completo e otimizado diretório? Conheça o DirectoryPress!

 

DirectoryPress
Trata-se de um template muito bem elaborado e com diversos recursos para tornar um simples blog em um diretório com características profissionais.

O painel de administração do DirectoryPress oferece a possibilidade do usuário configurar o Google Analytics, as categorias de importação e muito mais

Sem dúvida uma boa pedida para quem não manja nada de programação ou necessita de um diretório otimizado para os motores de busca.

E claro, o DirectoryPress é gratuito e o download pode ser feito através desta página, uma versão de demonstração você poderá ver aqui.

Fonte:  http://www.blogeweb.com/como-transformar-o-wordpress-em-diretorio/

 

Dicas para abrir um negócio na internet

Pensando em abrir um negócio virtual? Antes, leia as dicas de duas empreendedoras que já transformaram a ideia em realidade

São Paulo – Ter um negócio na internet pode parecer tarefa fácil: é mais barato, flexível e conveniente. Mas, acredite, os desafios encontrados por empreendedores digitais são grandes.

A carioca Vanessa Caldas é CEO da Amo Muito, loja virtual de acessórios femininos, inaugurada há dois anos. Vanessa percorreu uma longa estrada até decidir encarar o desafio de ter uma empresa na internet.Ela acredita que a experiência adquirida nas diversas companhias em que trabalhou antes de virar empreendedora pela segunda vez foi fundamental para que a Amo Muito seja um negócio bem-sucedido. No segundo ano de funcionamento, seu faturamento triplicou.

Para abrir um negócio na internet, ou fora dela, é preciso lidar com riscos e estar ciente de que um bom planejamento é fundamental. Em 2008, Maria Carolina Cintra criou a Kingo Labs, uma startup de programas para métricas de mídias sociais, que durou apenas três anos. Felizmente, da Kingo Labs saiu o Sorteie.me, um aplicativo que Maria Carolina criou com sua equipe em 2009 para a realização de sorteios na internet, um dos primeiros no mundo.

O programa ganhou popularidade no Facebook e no Twitter e hoje tem cerca de 1,5 milhão de usuários por mês. No fim de março, Maria Carolina inaugurou um novo empreendimento digital: o Socialle, uma ferramenta integrada com o Facebook para viabilizar a realização de desejos dos usuários.

Ela está confiante: “Estou começando do jeito certo, agora eu conheço bem mais os meus sócios do que conhecia na época do primeiro empreendimento”.

A seguir, conheça as lições aprendidas pelas duas empreendedoras digitais e que podem ser úteis para você colocar sua ideia na internet.

Continue lendo:   1 3

 

Dica de livro: Desperte o milionário que há em você

Por que algumas pessoas progridem sem parar e outras trabalham duro, porém mal conseguem pagar as contas?

Por que somente alguns conseguem alcançar o sucesso?

Será que poder realizar tudo o que se deseja é um privilégio apenas para poucos?

Este livro vai lhe ajudar a crescer, vencer e prosperar ao ponto de se tornar um milionário, se este for seu desejo. Com o auxilio deste livro, você fará as mudanças necessárias em sua atitude mental para materializar seu sonho de fortuna e riqueza através de um método utilizado por um empresário que saiu do zero e se tornou bilionário.

Confira:  http://www.desperteomilionario.com.br/