Uma aritmética do bem: Como o investimento na base da pirâmide faz a economia girar

Arte: Ilustre Bob/http://ilustrebob.com.br/ Arte: Ilustre Bob/http://ilustrebob.com.br/

Quanto mais aumenta a renda das pessoas, mais gente compra e mais o país cresce. Nos ajude a compartilhar essa história

MaisBrasil thumbArte: @ilustrebobO Instituto Lula pediu para que o infografista Ilustre Bob usasse de sua arte para contar ao nosso leitor o que aconteceu com a vida dos brasileiros na última década, e como a melhora de renda dos brasileiros mudou a cara do Brasil.

A história que ele conta é uma história de sucesso.

Entre 2003 e 2011, mais de 49,5 milhões de pessoas ascenderam de classe social, devido à criação do Bolsa Família, ao aumento real do salário mínimo e às políticas de crédito dos governos democráticos e populares eleitos nesse período. A melhora na renda impulsionou o mercado interno.

O brasileiro que aumentou sua renda passou a comprar o que antes não podia: o número de computadores vendidos no país, por exemplo, quadruplicou, passando de 4 para 16 milhões. Mas as pessoas também compraram mais geladeiras, televisores, máquinas de lavar, celulares, carros…

Para fabricar e comercializar tanta coisa nova, a indústria e o comércio contrataram mais gente com carteira assinada. Os funcionários das fábricas, dos shoppings, das lojas, com empregos mais estáveis, compram mais computadores, mais geladeiras, mais celulares…

E assim, entre 2003 e 2012, mais de 19 milhões de empregos com carteira assinada foram criados.

Esse ciclo virtuoso ajudou o Brasil a enfrentar a crise internacional com estabilidade e sem pânico.

A arte de Bob é a contribuição do Instituto nesse primeiro dia de debates sobre “O Decênio que Mudou o Brasil”, seminário promovido pelo Partido dos Trabalhadores, pelo Instituto Lula e pela Fundação Perseu Abramo.

O debate de hoje começa às 18h em Fortaleza (CE), com o tema “Políticas de bem-estar, direitos humanos e o desafio da inclusão social”. Os debatedores serão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, da ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, e do presidente do PSB, Roberto Amaral.

Fonte:  http://www.institutolula.org/

 

Comments

comments